terça-feira, 6 de agosto de 2013

Com greve da Polícia Civil potiguar, opção é fazer queixas pela internet



O Governo do Rio Grande do Norte está orientando a população do estado que registre, via internet, boletins de ocorrência para casos de perda ou furto de documentos pessoais e/ou de aparelhos celulares. A situação se dá em razão da greve dos agentes e escrivães da Polícia Civil potiguar, deflagrada no início da manhã desta terça-feira (6). A paralisação é por tempo indeterminado.

Em nota enviada à imprensa, a assessoria de comunicação do Governo explica que os boletins virtuais podem ser feitos no site da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social . O serviço está disponível no link Delegacia Virtual .
“Durante a paralisação, as delegacias de plantão da zona Norte e da zona Sul da cidade estarão funcionando para os demais registros de ocorrências para casos de flagrante”, diz a nota.

A greve

Cerca de 1.300 agentes e escrivães civis do Rio Grande do Nortex entraram em greve por tempo indeterminado às 8h desta terça-feira (6). A decisão da categoria foi tomada em reunião realizada na noite desta segunda-feira (5) na sede do Sindicato dos Policiais Civis e Servidores da Segurança Pública do Rio Grande do Norte (Sinpol), em Natal. Durante o período de paralisação, apenas o Centro Integrado de Operações de Segurança Pública (Ciosp) e os setores administrativos funcionarão normalmente. As delegacias de plantão farão apenas flagrantes, sem realizar registros de ocorrências e demais procedimentos.

Os agentes e escrivães da Polícia Civil decidiram entrar em greve por tempo indeterminado

Segundo Djair Oliveira, presidente do Sinpol, a pauta da categoria é extensa. “Queremos nomeação e curso de formação dos aprovados no último concurso, que vem se arrastando desde 2008; vale refeição para os agentes; serviço terceirizado de limpeza das delegacias, que muitas vezes fica a cargo dos próprios policiais; retirada de presos das delegacias; melhoria das condições de trabalho, como armamento, informatização e melhor comunicação entre as delegacias e reajuste salarial. Somos uma polícia de nível superior recebendo menos que cargos de nível médio. Também queremos reajuste das gratificações de chefes de investigação e chefes de cartório, que trabalham acima das possibilidades pela polícia”, afirmou.

Ao G1, o delegado geral da Polícia Civil, Ricardo Sérgio, afirmou que o Estado já definiu que a nomeação dos concursados só será realizada mediante abertura de vagas por causa de aposentadoria ou falecimento dos policiais. Sobre a retirada dos presos das delegacias, o delegado informou que isso já está acontecendo. “Isso é um processo continuado. Já existe a determinação e hoje esse número é bem reduzido. Acontece que, quando tiramos um, chegam outros por causa de flagrantes. Mas isso tem diminuído”, pontuou.

Quanto a limpeza das delegacias, que segundo o Sinpol é realizada pelos próprios policiais, o delegado geral afirmou que o Estado reconhece o problema e tomará providências. “Nós reconhecemos que os policiais precisam dos equipamentos. O Estado está fazendo estudos para viabilizar isso”, afirmou.

Ainda segundo Ricardo Sérgio, o governo não tem condições de atender a demanda salarial devido à situação de crise enfrentada pelo Rio Grande do Norte.

Fonte: G1/RN

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Postagens populares